terça-feira, 25 de setembro de 2012

Super Mario 64
(Nintendo 64)

Como assim?
A Titia parou de postar?
O GLStoque acabou? 

Cadê essa bicha?
A Lôka deu a diza no blog?

Tô achando, hein?

Claro que não... pára veado! 
Claro que não... ihhh bicha!

Me deixa!

Já cheguei, tô aqui... num tô?

Então!?

Hoje, falarei sobre um game do qual tenho uma enorme antipatia. E logicamente, vocês já estão correndo exaltados, atrás de pedras gigantescas para jogar no meu salto, né? E logicamente, eu não tô tem aí pra isso e sou bem capaz de rebater todos os tiros com meus cílios de raio laser, né? E logicamente, eu adoro advérbios e já comecei a viajar na escrita daquele jeito que as pessoas que vêm aqui, adoram!

O negócio é o seguinte. Quando eu era criança, um amigo ganhou um Nintendo 64 em uma rifa (sim, elas existem e as pessoas r-e-a-l-m-e-n-t-e ganham) e me chamou para mostrar. Eu não entendia nada daquela nova geração e muito menos de Nintendo 64. A única coisa que eu ouvia era um bando de crianças gritando para todos os lados: TECLA Zê! TECLA Zê! BOTÃO Zê! Nóhhhh! TECLA Zê! ...nada mais.

E quando não, alguém fazia alguma acrobacia com o Mario e imitava sua voz, daquele jeito que todo mundo fez um dia... fez ontem, fez há dois minutos e, com certeza, está fazendo agora; mesmo que mentalmente.

Ou seja, não havia nada para gostar naquele negócio... daí... hei que cresço, arrumo um namorado e...




...ganho um Wii!!!!!!

Então, depois de cansar de jogar Mario Kart, meu lindinho se lembra que eu prometi que iria jogar Mario 64 com ele uma vez... e repete isso com a carinha mais linda do mundo, umas mil vezes por dia. E como #eunãosôfraca, atendo ao pedido e resolvo encarar mais essa.

Claro que estabelecemos algumas regras para que a jogatina fosse, ao menos, suportável. Cada um pegava uma estrela, não importando qual e não podíamos usar save-state. A não ser para desligar o video-game. E jogaríamos até terminar com todas as estrelas. Ou seja, a porra era séria. De verdade.

No início, morríamos em todas as partes e demorávamos um bocado para pegar cada estrela. Sou péssimo em jogos 3D, quanto mais em um, em que você caí pelas beiradas das fases como se o mundo fosse quadrado. Depois de um tempo, pegamos o jeito e melhoramos um pouco. Não o suficiente para diminuir a tensão de estar constantemente à beira da morte.

Os dias foram se passando e...



...continuávamos a jogar Mario 64. No início revezamos com os sobrinhos, o que nos fazia demorar o dobro do tempo em cada estrela. Será que você faz ideia do quanto a geração depois da nossa tem dificuldade com videogames em que a morte é possível? Eu sei como é. É triste. Se para mim era complicado, para eles era a morte. Literalmente.

Crianças desistem facilmente e nós ficamos sozinhos em nossa jornada. Com o passar do tempo, pudemos apreciar as belas imagens do game, jogado em um TV de tubo de 29'', depois em um TV de 14'' que tornava a experiência ainda mais nostálgica. E o controle do Wii fazia maravilhas em nossas mãos. A jogabilidade com ele é muito mais confortável. Quem diria que jogar com duas mãos seria tão maravilhoso? Tão gostoso? Tão certo?

As músicas excelente nos embalaram por todas as mil fases e suas 120 estrelas, colhidas na unha, com suor e sangue. No fear, no limits, no regrets. Cada barulhinho bem localizado, cada detalhe bem pensado. Exceto a câmera que me deixava louco. Senti-me debilitado por não conseguir andar em uma direção que não fosse para frente. Era uma tortura não conseguir virar a câmera e poder andar para frente. As laterais eram aterrorizantes. Maldito Lakitu!

E uma coisa não saía da minha barriga. Não. Nós sempre tomamos cuidado. Estou falando daquela tensão lá de cima. As entranhas estavam contraídas por todo o tempo, enquanto durarem as fases, não importando quais mãos segurassem os controles. Como expectador, eu dava espasmos, pulos e gritos de ódio toda vez que algo saía errado. Era um martírio, um sofrimento constante. (não basta ser pobre, tem que dizer: só de lembrar fico toda arrepiada).

Com a cabeça doendo de preocupação...




...concluímos a filhadaputamalditadesgraçada fase do fogo.

Não sei dizer quantas vidas foram gastas, quantos gritos, xiliques e expressões de ódio foram direcionados a esse maldito mundinho. Um saco! Literalmente! Pelo menos, serviu para nos separar do fracos e nos fazer homens do Mario. A partir daí, tínhamos força para nos divertir um pouco.

Escorregar com o pinguim e voar com o boné-alado eram momentos de diversão. Muito curtos, diga-se de passagem. Quase tão ruins como pegar o Tannooki (sei lá, ursinho) de Super Mario 3. Um lixo de powerups. Bem brochantes. Móh coito interrompido. Quando ficava gostoso, parava.

Fomos salvos pelo Metal Mario e o melhor efeito sonoro já feito em um game de Mario. Não há nada em Mario 64 como correr para ganhar o mundo, destruindo tudo pela frente, ouvindo as batidas de metal e do impacto no chão. Cair na água com ele então? Foi fantástico!

Um Bowser meramente simbólico e muito psicodélico fechava cada ciclo. Nada demais, apenas cumprindo seu papel. E mesmo depois de tanto relaxamento, aquele aperto esmurrava meu estômago. Nada me deixava tranquilo. O suor era uma constante. A única felicidade real, era pegar a estrela e sentir a sensação de que acabou mais um parte.

Encantados com o mundo gay que o arco-íris enfeitava nos céus...



Fomos até o fim.

Encontramos todas as estrelas. Nos comprometemos por alguns fins de semana. E ficamos felizes por terminar. Muito felizes. Aliviados... além de veados. ...e esse é o maior problema.

Mario 64 é um game para se terminar. Não é um game para curtir. Não é um game para se aproveitar a jornada. Apenas, treinar coreografias e acrobacias para acabar. A jornada não é divertida. Não é emocionante. É tensa e complicada.

Não tem magia... só desafio.
Apenas metas e objetivos repetitivos.

Ah... e como se repete.

Mesmo sendo uma maneira muito inteligente de aproveitar o espaço, não é fantástico. É louvável.

Enfim, Mario 64 foi bom porque cumpri um desafio.

Não foi bom porque me diverti com o game, e sim com meu namorado.




Produtora: Nintendo

Gênero: Ação / Plataforma

Ano: 1996

Console: Nintendo 64

NOTA: A-


Eu quero continuar... preciso continuar... mas quando terminar... tenho certeza... que o melhor... será o fim.

35 comentários:

  1. Ah, titia! Mario 64 foi uma das poucas transições de 2D para 3D que ficaram boas. Concordo que o Lakitu é o pior cameraman do mundo, mas isso não torna o jogo menos divertido. Além do mais, a jogabilidade em 3D estava engatinhando, e logo seria aprimorada em jogos como, por exemplo, Zelda Ocarina of Time (que por sinal usa uma engine melhorada de Mario 64)


    Sou um ferrenho defensor do 64 por causa de games como esse, é bonito, desafiador e gostoso de se jogar. Não sei como é a jogabilidade com o controle do Wii (joguei com a nave do 64 e com emulador), mas pelo que lembro a morte só me assombrava naquelas partes onde eram exigidos pulos milimétricos. Estarei enganado?


    No mais, curti o review. Tbm joguei ele acompanhado, minha esposa viu uma vez e disse "que jogo bonitinho" =/

    ResponderExcluir
  2. para mim, foi o melhor game de Mario já feito até hoje.( não importa o que digam sobre um tal "Mario Galaxy") e foi um dos ultimos games que zerei junto do meu irmão. pegar cada estrela era uma vitória para gente. e sem, mais, o melhor Mario já feito

    ResponderExcluir
  3. Ah, você encarou o jogo muito na obrigação e uma ponta de má vontade, assim não rola mesmo. Eu acho Mario 64 um puta jogo (o que me lembra que ainda não comprei esse cartucho) e acho que envelheceu muito bem. Claro que é covardia comparar com um Super Mario Galaxy por exemplo, mas ele sempre vai ter o seu lugar reservado.

    ResponderExcluir
  4. Eis um game que joguei muito pouco em toda a minha vida, mas lembro que gostava de ficar puxando a orelha dele na tela principal xD


    Seu post ficou M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O! ^^

    ResponderExcluir
  5. Concordo plenamente com você na questão de transição do 2D para o 3D ter sido muito bem feita. Realmente, é uma jogabilidade que não se via na época. Muito melhor que a maioria.


    Com a controle do Wii é dez vezes melhor!


    Todos os pulos são milimétricos. E não são só as mortes, mas aquelas partes que você sobe, sobe, sobe e cai quando está quase chegando lá. Um saco!


    Adoro Platéia!

    ResponderExcluir
  6. Na minha humilde opinião, Super Mario World é o melhor Mario já feito; mas não joguei outros 3D. Portanto, fico na nostalgia.

    ResponderExcluir
  7. Que comecem os jogos!


    Eis o primeiro lutador.


    Não joguei o jogo como obrigação, nem com má vontade. O que eu quis enfatizar era que a ideia de jogar partiu do meu namorado, e eu estava adiando o fardo. Resisti até começar a jogar, depois, me libertei dessas coisas para aproveitar o negócio. Até porque, joguei por vários finais de semana.


    Tecnicamente é um jogo maravilhoso, superior e símbolo do que o Nintendo 64 podia fazer. Mas, subjetivamente, não é divertido. Não gostei de ficar entrando na mesma fase várias vezes para fazer coisinhas. Em uma eu olho num sei o quê, depois volto para olhar o outro lado, depois retorno para pegar num sei o quê. Maçante.


    Sem falar na tensão. O game não é solto. Não dá para sair correndo querendo ganhar o mundo, porque o chão acaba.


    E de um tempo para cá, tenho começado a achar que isso está em todos os jogos do Mario, não só nesse. Talvez, Mario não seja essa coca-cola toda. Não do jeito que eu pensava.


    O game envelheceu bem, mas não é essa a questão. A questão é que ele não é tão legal quanto parece. Longe de ser ruim, mas igualmente longe de ser maravilhoso.

    ResponderExcluir
  8. ...puxar a orelha é legal, brincar de Daiane dos Santo também, andar com o Metal Mario, até voar é legalzinho (só um pouco)... mas o jogo mesmo, é chato.


    E seu comentário M.A.I.A A.I.N.D.A!!! ^^ Arrasô!

    ResponderExcluir
  9. Eu acho divertido ao menos nos primeiros 30 minutos . Realmente cmo a titia disse o jogo rapidamente se torna injuativo. Titia to ansioso por outro rpg por aq. Abraco

    ResponderExcluir
  10. Eu amo o mario mas esse jogo eu torço o nariz até hoje. Não sei se você chegou a jogar Mario Galaxy que é no mesmo estilo mas é mil vezes melhor.

    ResponderExcluir
  11. Mais um post hilário e divertido, titia! Pode até acontecer uma demora entre os posts, mas vc não perde o ritmo.
    Eu sou um dos hereges que nunca terminaram Super Mario 64, pretendo consertar isso logo, mas terá de ser na versão do DS.
    Legal que vcs terminaram juntos com direito a todas estrelas, mesmo que vc tenha relutado para fazer isso. Querendo ou não, vcs se divertiram. O jogo parece bom e tudo mais, mas só vou poder falar isso com certeza quando eu jogar ele pra valer, e estou adiando isso pacas! hahahaaha
    Só se prepara que vc vai acabar deixando muito fanboy bravo! Aposto!

    ResponderExcluir
  12. Adorei o post, GeLê. No início, parece que você odeia o jogo; depois, parece que adora; aí, parece que odeia de novo. Não tem coisa mais gostosa no videogame do que odiar um jogo, amar um jogo, odiar um jogo, amar um jogo e no final perceber que o bacana mesmo foi a experiência de jogar com os amigos.


    Às vezes a gente fala, fala, fala de um jogo, vai na parte técnica, fala do game design e, no fundo no fundo, não diz nada. Já o seu post mostrou bem o jogar, o se descabelar, o torcer, o xingar do Super Mario 64... seria tão bom se todos os posts sobre jogos conseguissem passar isso. Achei dez, tá de parabéns.

    ResponderExcluir
  13. Ainda não joguei... estou tentando fazer na ordem certa e experimentar o Sunshine primeiro, mas tá difícil. Talvez, não consiga. E quando jogar te conto tudo, pode deixar.

    ResponderExcluir
  14. Mais um comentário que faz a vida valer a pena! ...não te contei? Antes da rima... meu forte é ritmo! ...principalmente, o ragatanga!


    Dizem que jogar no DS não é a mesma coisa, que é mais chato. Quando descobrir a verdade, volta aí para me contar.


    Claro que me diverti... até com a raiva. Se não, não continuaria jogando por tanto tempo. Só não babei no negócio.


    É... não se influencie tanto pelas experiências dos outros.


    Quero vê fanboy descer... quero vê... quero vê!

    ResponderExcluir
  15. Adorei o GeLê!


    E depois de ler seu comentário... reli o texto, e não sei mais dizer em que partes é amor e em quais são ódio (ou gás). Fantástico!


    Sempre que você vem aqui comentar, fica parecendo uma síntese do que eu senti escrevendo. Sério mesmo. Acho que vou passar a mandar os posts para você avaliar e comentar antes de postar. Daí eu coloco como prefácio ou algo assim.


    Fico muito feliz em saber que os textos menos técnicos estão agradando... sinal que não precisarei lutar para escrever do meu jeito. Valeu! (claro que não vou jogar os cílios laser fora... vai que os fanboy desce)

    ResponderExcluir
  16. Ei, cadê o esquema de receber as respostas por e-mail? Só fui ver que você me respondeu agora, rzs.

    Lutador, eu? Só se for em uma partida de Killer Instinct :P

    Ah, eu fiquei com essa impressão ao ler o texto, mas se você disse o contrário, então tá bom.

    Particularmente o único Mario 3D que eu achei repetitivo foi o Sunshine, apesar de eu ainda gostar do jogo assim mesmo. Agora estou jogando Galaxy e é um jogo extremamente relaxante, além de muito bonito.

    Sobre o tenso eu não consigo puxar na memória nada sobre isso no jogo, eu acho as fases até bem razoáveis em tamanho para o 64, ainda mais quando rola o boné de voar.

    Mas pelo visto mais uma vez é só divergência de opinião nossa né, rzs.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. O sunshine apesar de ser muito lindo graficamente, é tão insuportavel quanto esse kkk mas conta pra nóis depois o que você achou =p

    ResponderExcluir
  18. Será? ...veremos! ...mas, tô achando que não, hein?

    ResponderExcluir
  19. Mininu! Esse Dysqus tá muito doido depois que mudou... acho que você tem que entrar no seu perfil do dysqus e habilitar as notificações de resposta. Para você ter uma ideia da loucura... tem dois comentários anonymous perdidos por aí... eles aparecem no gadget de comentários, eu recebo a notificação por e-mail... mas não consigo vê-los no blog, nem liberá-los. Alôka!


    Enfim...


    ...eu só aceito se for Tekingoufaite!


    Não queria passar essas impressão, mas foi a dor na barriga, ao lembrar de tudo que fez isso.


    Ainda estou me adaptando a vida 3D do Mario... se brm que acho que estou descobrindo que mario nem é... ops! Deixa pra lá.


    O problema não é o tamanho... o problema é a dificuldade... a falta de controle ao pular, a falta de controle ao queimar a bunda na lava... o fato de cair de milhares de andares e ter que voltar, ou cair no limbo. E isso é uma constante... maldita tensão! E as habilidade não parecem melhorar muito com o passar do tempo... é um saco!


    Divergindo, vamos longe!

    ResponderExcluir
  20. Mais um cadastro? Ok, lá vamos nós então :P

    Vixe, Tekingoufaite eu sou uma negação... serve Samurai Shodown não? Rzs...

    Hwa hwa hwa, pode falar que não acha Mario lá essas coisas. Aliás, eu sou da opinião que se não rola uma química entre você e um jogo é melhor nem jogá-lo, mesmo que seja um clássico que todo mundo elogie. Eu sempre falo muito isso sobre Zelda, mas sobre Mario é a primeira vez, rzs.

    Agora em termos de tensão eu acho os antigos piores, até Super Mario World tem umas fases que o coração palpita só de lembrar, rzs.

    ResponderExcluir
  21. Postando de novo porque a porcaria do Disqus levou meu post mega trabalhado ao inferno (mas o bom é que ficou mais resumido):


    Acompanho o seu blog faz algum tempo, mas só agora deu aquele "tchan" pra postar algo... huhuhuhuh....

    O Super Mario 64 é um dos meus Marios favoritos e acho que sou o único que odeia de coração SMW e Galaxies (vão me queimar na fogueira agora). Gostei muito do fato do jogo ter deixado aquela raiz "anda anda anda pra frente e chega no final" pra desafios inteligentes e exploração de mundos (até gosto de side-scroll, mas na minha opinião, a Nintendo precisava criar algo diferente pra adiar a estagnação do gênero) As coisas que não gostei foram a repetição de alguns objetivos, como citados e as lutas chatíssimas contra o Bowser, é um saco girar insanamente o analógico, (desgastando-o) apontar pra direção da bomba e o Mario jogar por lado errado, inclusive, já fiquei horas a fio nessas lutas. Até gostaria de zerar novamente o jogo, mas só de saber que vou ter que lutar com o Bowser dá desânimo.

    ResponderExcluir
  22. Olá Gabriel!
    Até que enfim alguém que concorda que Super Mario 64 não é a oitava maravilha!!
    Eu acho que o maior problema do jogo é a própria jogabilidade (que todo mundo insiste em dizer que é PERFEITA!!)... Em Super Mario 64 o mundo parece ser feito de sabão, tudo é muito escorregadio... Até quando sai uma moeda de um inimigo ela fica escorregando sem parar...
    E não adianta vir com essa história de que era o melhor que tinha pra época... xD
    Afinal, Crash Bandicoot é mais antigo e tinha uma jogabilidade muuito melhor que Super Mario 64...
    O único Mario 3D que não joguei foi o Sunshine, mas entre os que joguei, o 64 é o pior... Cláro que estou fazendo injustiça, já que os jogos foram evoluindo. Mas também não precisa endeusar o Super Mario 64, porque não é pra tanto...
    E também concordo sobre os jogos do Mario desde então parecem seguir essa mesma linha...
    Mas existe uma luz no final desse túnel... Hehe
    Eu chamo essa luz de Super Mario 3D Land, o que na minha opinião, é o melhor Mario 3D ja produzido... Se parar pra ver, é o único Mario realmente 3D ja produzido xD
    Mas o que mais me agradou é que ele é bem mais linear que os outros, e essa realmente foi a intenção da Nintendo. E, mesmo os haters de jogos 2D precisam confessar que hoje em dia um bom jogo de plataforma linear é coisa raríssima.

    ResponderExcluir
  23. Olá Gelouca, acompanho o seu blog a um tempinho (mesmo sem tanto tempo disponível). Resolvi comentar so agora: antes tarde do que nunca (hehe). Mario 64 é isso aí: um misto de frustração com nostalgia e alguns momentos divertidos. Você ruim em jogos 3D? Eu consigo ser pior to tipo que apanhou em blasto do PS1. Quanto jogava Mario 64 sempre era em consoles emprestado, mas nunca jogava 4 real afim de zerar, até porque amigos zeraram na minha frente e eu ja tinha visto o final (e para encarar um game daquele com spoiler no way). Eu estava com a versão do DS no meu Flashcard mas não achei tão prazerosa a jogabilidade nele. Talvez com mais paciência eu volte para ele. Mario 64 é preciso de muita paciência para encarar. Abraços Gelouca e até a próxima.

    ResponderExcluir
  24. Aí titia!!! Jah viu esse texto???

    http://www.nintendoblast.com.br/2012/10/por-que-games-com-tematica-gay-podem.html

    ResponderExcluir
  25. Adoro quando dá o tchan! em alguém! ...falando nisso, assisti outro dia o filma da Carla Perez e digo sem medo, vale cada minuto. Cinderela Baiana Rules!

    Antes de mais nada, desculpe-me por demorar para responder quase o tempo que você levou para fazer o primeiro comentário. Sorry, but I have some problems, like... ih bicha! dêxa de ser chata! ai... tá bom.

    Voltando...

    ...Eu gosto de Mario World. Acho que é bem melhor que Mario 3 e ainda não tive a chance de jogar Mario Galaxy. A mudança para a jogabilidade 3D foi muito bem executada. levando em consideração as limitações da época.

    Essa repetição mata qualquer... e é tão feia que o Bowser é invariável. Se bem que isso é um mal de todos os Marios... os chefes são sempre ridículos... apenas, Yoshis Island melhora isso. Ou seja, todos os Marios tem chefes chatos, já que o outro game é do Yoshi.

    Jamais zerarei novamente... no way!

    Para fechar, seja bem-vindo novamente. Volte sempre, se possível, mais vezes do que eu e Arrasa Nem!

    ResponderExcluir
  26. Até que enfim, respondi esse negócio, hein? Que Tia mais desnaturado cês foram arrumar aqui, hein? Putz!


    Não, essa Mario não é a oitava maravilha, sô! Ele não é NENHUMA maravilha, isso sim!


    Nó! É isso! Sabão!
    O Mario é extremamente escorregadio! Como não pensei nisso antes!? Não gosto de Crash, ainda prefiro o Mario, e nem sei dizer qual jogabilidade é melhor. Pelo que me lembro, no caso do Crash, o cenário não era 3D como é em Mario... pode ser essa a diferença.


    Mesmo que o jogo seja excelente tecnicamente falando, para a época... Ele não conseguiu me divertir como deveria... Portanto, não é essa coca-cola toda.


    Não quero falar sobre 3DS nenhum ainda, pois corro o risco de me endividar para arranjar um... então, acabamos aqui.


    PS: porque elxs resistem em fazer poucos games de plataforma?

    ResponderExcluir
  27. Gelouca!? ...kkk! Adoro asLôka que já chega íntima da gente!

    Pelo visto, falar mal de Mario faz o povo se mover... bom saber disso. Farei novamente, em breve.



    Não sei o que é blasto, mas sei que eu seria ruim nisso. O negócio não é que sou naturalmente ruim... é falta de treino. Se eu jogar, chego lá. Com Burning Rangers do Saturn foi assim... mas por mais que eu jogasse Mario, a evolução era pequena.


    Seja Bem-Vindo a essa nova vida de comentarista... Sinta-se em casa... Adorei seus inglesiástismos (4real and no way)... Arrasa Nem!


    E abraços!

    ResponderExcluir
  28. Pô! Foi mal, a demora para responder... mas li no dia que você me mandou, mas não consegui responder. Valeu mesmo pelo link!


    Agora, já reli, comentei e divulguei!


    Brigadão!


    Achei o máximo!
    Adoro saber que há outros caras inteligentes como eu falando sobre essas coisas por aí... Arrasando!

    ResponderExcluir
  29. É, o crash é só andar em linha reta... Mas a diferença na jogabilidade é que ele não escorrega... Como eu odeio escorregar! Quando aparece neve no Enduro ja me da um desanimo!

    Pois é... Antigamente o que mais tinha era jogo de plataforma! Hoje só tem tiro em primeira pessoa...
    E não fala de se endividar que ja estou individado, gastei todas as minhas economias em um Turbografx 16 e vários jogos pra ele... Mas valeu a pena!!

    ResponderExcluir
  30. Bicha burra nasce homem, hein? ... agora me diz porque diabos essa porra dessa letra aí de cima ficou toda da cor do link?

    ResponderExcluir
  31. Oi titia q bom saber q vc ta viva , sou o cara q disse q vc nos deixou orfaos xD tb sou o cara q pediu pra vc fazer um post a exemplo do shining force e falando em SF este e o motivo do meu terceiro comentario no seu blog. Gracas ao seu post conheci essa obra de arte nunca fui fan de rpg tatic estrategia etc... Mais SF me mostrou o outro lado da moeda xD to jogando o do e me apaixonei pelo jogo em todos quesitos. Aproveitei e comprei o SF EXA do ps2 , mesmo sabendo q e action pra jogar e to gostando tb. Mais o do gba e mt bom :D abraco e ate a proxima

    ResponderExcluir
  32. Cadastra aê que você já é de casa.


    Samurai é uóh!
    Não consigo gostar.
    ...deixo você escolher o ano do Kof, pode ser?


    Acho que é isso, há tempos não tenho química com Mario. Pelo menos, até jogar Paper Mario Wii que é um arrasô! Um idéia muito bem executada, um luxo!


    Nada... Mario World dá para zerar com 96 fases, sem perder uma vida. #bemhonesta

    ResponderExcluir
  33. Já cadastrei, já cadastrei, rzs.

    Vixi, eu lembro que eu gostei de jogar com uma mina chamada Vanessa, de qual ano ela é? Qualquer coisa vou ter que apelar para a Athena então, rzs.

    Acredita que não joguei Paper Mario até hoje? Talvez ano que vem eu jogue na seqüência, duro vai ser achar o cartucho do Nintendo 64 num bom preço.

    Hum, sei lá, na época algumas fases do "Special" eu tomei um coro grande, tipo aquela "Funky", mas se bem que fazem muitos anos isso e depois de Donkey Kong Country Returns, qualquer outro jogo de plataforma é fichinha, rzs.

    ResponderExcluir

LINKWITHIN

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...